ESCOLA DO LEGISLATIVO OFERECE CURSO DE REDAÇÃO OFICIAL

 

arte

Estão abertas as inscrições do curso de Redação Oficial promovido pela Escola do Legislativo. O curso será ministrado pela mestra em letras professora Maria Elisete Berlato Pinto. Com uma carga horária de 44 horas/aula, acontecerá de 02 de setembro a 21 de outubro, sempre as segundas e sextas-feiras das 9h às 11h30.

O CURSO
Tem o objetivo de propiciar aos participantes uma visão prática sobre a elaboração de documentos empregados no cotidiano de trabalho da Câmara Municipal Porto Alegre, busca-se o aprimoramento das habilidades necessárias à redação de textos oficiais e administrativos, destacando a eficiência na comunicação, a elaboração de textos e especificidades da redação oficial. Será abordado aspectos contemporâneos da linguagem escrita e sua relação com a produção de textos oficiosos diante da diversidade de documentos administrativos e técnicos existentes nas atividades parlamentares.

INSCRIÇÕES
As inscrições deverão ser encaminhadas junto à secretaria da Escola do Legislativo após o preenchimento do formulário de dispensa de ponto, disponível nas pastas públicas, e do Termo de Compromisso. Serão conferidos certificados de participação aos inscritos com frequência mínima de 75% nas aulas.

Mais informações: ramal 4374 ou escola@camarapoa.rs.gov.br

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO SUGERIDO

1ª Parte – correção e contemporaneidade de documentos administrativos e oficiais
1.1 Documentos administrativos:
1.1.1 Carta/ofício;
1.1.2 Ata/memória de reunião;
1.1.3 Atestado/declaração;
1.1.4 Parecer;
1.1.5 Estudo técnico;
1.1.6 Relatório;
1.1.7 Justificativa de proposição;
1.1.8 Pronunciamento;
1.1.9 Requerimento, entre outros.
1.2 Documentos eletrônicos: os meios eletrônicos e a imagem institucional; a ética, a estética e o sigilo na sua elaboração;
1.3 Como iniciar e encerrar corretamente a correspondência; análise de introduções e fechos;
1.4 Formas de tratamento usuais na correspondência administrativa;
1.5 Linguagem oficial: semântica, vícios de linguagem, expressões tautológicas, redundâncias, uso de jargões técnicos e estrangeirismos.

2ª Parte – estudo da produção textual
2.1 Texto técnico e texto literário: semelhanças e diferenças;
2.2 Elementos e estrutura dos textos de acordo com os tipos de redação:
2.2.1 Dissertação;
2.2.2 Descrição; e
2.2.3 Narração.
2.3 Argumentação;
2.4 Coerência e coesão
2.5 Clareza, concisão, ordem e objetividade do texto
2.6 Estrutura frasal
2.7 Pontuação;
2.8 Itens imprescindíveis: timbre, data, endereçamento, vocativo, normas, encerramento, assinaturas

3ª Parte – Redação oficial na prática
3.1 Identidade visual dos atos oficiais
3.2 A redação dos atos oficiais:
3.2.1 Medidas;
3.2.2 Artigos;
3.2.3 Parágrafos;
3.2.4 Incisos;
3.2.5 Alíneas;
3.2.6 Itens;
3.2.7 Encaminhamentos.

3.3 As correspondências oficiais:
3.3.1 Normas gerais de elaboração;
3.3.2 Siglas e acrônimos;
3.3.3 Hífen;
3.3.4 Hífen entre vocábulos;
3.3.5 Destaques: itálico, aspas, negrito, sublinhado, maiúsculas, minúsculas;
3.3.6 Enumerações;
3.3.7 Grafia de numerais;
3.3.8 Fechos para comunicações;
3.3.9 Identificação do signatário;
3.3.10 Formas de Tratamento;
3.3.11 Abreviaturas;
3.3.12 Vocativos;
3.3.13 Envelopes.
3.4 Modelos de comunicações e atos oficiais, com análise de suas espécies, finalidades e estruturas:
3.4.1 Ata;
3.4.2 Atestado;
3.4.3 Carta;
3.4.4 Cartões;
3.4.5 Certidões;
3.4.6 Circular;
3.4.7 Comunicação interna (memorando);
3.4.8 Correio eletrônico;
3.4.9 Declaração;
3.4.10 Instrução normativa;
3.4.11 Ofício;
3.4.12 Ordem de serviço;
3.4.13 Parecer;
3.4.14 Portaria;
3.4.15 Registro de pronunciamento;
3.4.16 Requerimento;
3.4.17 Resolução;
3.4.18 Resumo de depoimento.
3.5 Exercícios de fixação da aprendizagem: como identificar textos ineficazes e de análise de documentos.

4ª Parte – Redação e normatização (participação dos funcionários que trabalharam na elaboração do Projeto de Resolução que propôs a padronização textual na CMPA)
4.1 Proposta de regras de normatização dos padrões textuais da CMPA (Projeto de Resolução);
4.2 Aspectos não opcionais da língua portuguesa (conforme Anexo I da referida Resolução).